Blog - Livro

3. Você Julia que vai me amar?

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativa
 

Passados alguns dias duas coisas não saiam da cabeça, o telefone que não tocava e a mulher que estremecia seu corpo apenas por estar próxima a ele. 

Um toque o faz levantar, uma mensagem chega em seu celular, por um momento várias coisas passam em sua mente, será que é ela? Será que quer me ver? Ou será que vai me dar alguma desculpa?.

 

As mãos descontroladas quase derrubam o aparelho e ao controlar a emoção ele lê o recado que diz: "Oi Sam, amanhã vamos fazer a nossa festa, você quer mesmo ir?"

Ele queria ouvir a voz dela, queria sentir se o convite foi apenas por educação ou se ela realmente o queria lá, discou o número várias vezes ensaiando o que poderia falar, até tomar coragem de completar a ligação.

 

Julia - Alô.

Sam - Oi Julia, recebi sua mensagem e eu quero muito estar lá com vocês, mas você tem certeza que eu posso ir?

Julia - Pode sim, e se você quiser pode almoçar com a gente hoje, aí você já conhece a turma.

Sam - Me manda onde vai ser e eu vou pra lá.

Julia - Mando sim, até mais tarde então.

 

Se encontraram e se conheceram um pouco mais, todos notavam que alguma coisa estava rolando entre os dois, a intimidade entre eles crescia a cada momento juntos, ele começou a notar que ela o estava olhando de uma maneira diferente. Cada palavra, piada, história que saia de sua boca deixava a moça com cara de admiração, eles não conseguiam mais disfarçar.

O dia tão esperado para ela chegou, a formatura do curso de medicina era o final de um ciclo de muitos anos de estudo. Ele não teve a ousadia de perguntar a idade dela, que no mínimo era de 6 anos a mais. Não se notava diferença entre os dois pois além dele estar com a barba pra fazer sempre pareceu um pouco mais velho.

Era o último dia das férias de Sam e isso ele não teve a oportunidade de contar a ela, na verdade ele não queria deixar de ver aquela mulher jamais.

Se encontraram na festa e não se desgrudavam, ele não parava de pensar como era bom sentir a pele dela e os corpos se tocando ao som de uma romântica lenta, a sintonia entre os dois era tão grande que eles sentiam as batidas do coração em sincronia, o vestido que ela comprou especialmente para a data fez com que fosse a formanda mais deslumbrante da festa, era como se as luzes estivessem todas voltadas para eles, o suor da exaustão de horas de baile a deixava mais sensível a mudança da temperatura, ele se aproximava cada vez mais, no seu peito ele sentia a necessidade de aconchegar e aquece-la, dançaram todas, e só quando a música parou notaram que a festa estava acabando, eles se divertiam muito aquela noite.

O momento triste do dia chegou, ele deveria se despedir e contar da volta para casa

 

Sam - Julia, tenho que ir, eu não consegui te contar mas amanhã eu volto pra Brasília.

Julia - Não acredito, você está falando sério?

Sam - Estou sim.

Julia - Puxa, que chato, a gente se divertiu tanto hoje!

Sam - É verdade! E sabe de uma coisa, eu não quero mais deixar de me divertir assim!

Julia - Como assim?

Sam - Não sei o que aconteceu, mas desde aquele dia na praia você não sai da minha cabeça.

Julia - Sabia que eu me sinto assim também?

 

Nesse momento ele roubou um beijo dela. Os lábios se encaixaram de uma tal forma que não havia outra pessoa no mundo capaz de fazer igual, a tristeza se converteu na certeza de que foram feitos um para o outro.

 

Sam - Você Julia que vai me amar?

 

Quando ele olhava para ela sentia como se os seus pulmões enchessem com o dobro de ar, era uma sensação que nunca tinha experimentado na vida, aqueles olhos cor de mel brilhado e refletindo o luar seus cabelos longos tão macios e com um perfume que era marcante. Ele não podia perder a oportunidade estar novamente junto e quem sabe até viver a vida ao lado daquela mulher, e sem pensar em mais nada, a pediu em namoro.

Ela gostou dele, na verdade já estava apaixonada, porém tinha muito receio pela diferença de idade entre os dois, o medo de uma possível imaturidade de Sam não a deixava responder naquele instante.

Se despediram novamente e o clima ficou estranho.

No dia seguinte nenhuma resposta ligação ou mensagem, Sam estava no embarque do aeroporto de navegantes e quando estava para fazer o check in recebeu uma mensagem que dizia:

"Sam, eu Julia que vou te amar ;) s2"

Ele ligou pra ela, se entenderam, e assim começaram a namorar e ela prometeu estar com ele quando voltasse para Brasília.

Pesquisar

Capítulos

Sobre o livro

Este livro é o primeiro da trilogia que narra a história de Sam Miller, leia e descubra onde fica a casa do deserto vermelho.

Capítulos

Nossos Parceiros

Links

Pesquisar